Untitled Document
 
 
E-mail: adautodias@msn.com
 
 
 
31 de Outubro de 2016 às 10h16min
Ramal ferroviário pode ser salvação para ferrovia no MS
Bolívia luta para ser incluída no traçado e trecho chegar a MS
Correio do Estado


Ramal permitirá o transporte de 10 milhões de toneladas - Foto: Arquivo/Correio do Estado

Um ano e meio depois de ser excluído do projeto da ferrovia transoceânica Atlântico-Pacífico, Mato Grosso do Sul volta a entrar na rota do ramal ferroviário – com extensão de cerca de 4 mil quilômetros -- com o "ultimato" dado pelo Governo do Peru para que a Bolívia seja incluída no traçado.

O projeto total prevê investimentos de US$ 50 bilhões e pode reduzir em até 80% o custo de transporte da produção sul-mato-grossense com destino à Asia.

Com a proposta de alteração do traçado, autoridades estimam que permitirá o transporte de 10 milhões de toneladas de carga para 2021 e 24 milhões de toneladas até 2055. Só os bolivianos movem mais de 8 milhões de toneladas de carga entre importações e exportações ao ano.

Um estudo da empresa Consultrans projeta que para 2021 esta nação andina mobilizará cerca de 15,3 milhões de toneladas de mercadoria.

Os planos para construir a linha férrea bioceânica projetam começar no Porto de Santos, passar por Corumbá e entrar na Bolívia por Porto Suárez, seguir pelos municípios de Santa Cruz, Montero e Bulo Bulo até chegar ao altiplano de La Paz. Em solo peruano serão cerca de 1,6 mil km de ferrovia.


 
Notícias Recentes
Japão anuncia retomada da importação de lácteos
Preço do boi gordo em MS enfrenta queda para o menor patamar desde 2014
Com apoio da Agraer, produtores garantem renda de R$ 10 mil/ano com produção de urucum
Horário de verão 2017 começa no domingo; moradores de 10 estados e DF devem adiantar relógio em 1 hora
Ferroeste faz primeira consulta pública por ferrovia entre Dourados e PR
Herdeiros já podem sacar dinheiro do PIS/Pasep de falecidos
   
 

2006 - 2012 © - Glória News - Todos os direitos reservados.
As notícias veiculadas nos blogs, colunas e artigos são de inteira responsabilidade dos autores.
Desenvolvido por: Ribero Design - tecnologia&internet