Untitled Document
 
 
E-mail: adautodias@msn.com
 
 
 
06 de Maio de 2019 às 16h50min
Pescadores pedem inclusão do Tucunaré no decreto da cota zero
Pesca do peixe ainda não tem restrições
Correio do Estado

Tucunaré é devolvido ao rio durante prova do torneio de pesca esportiva de Três Lagoas - Foto: Saul Schramm / Governo do Estado

Associação de Pescadores Esportivos de Três Lagoas (APETL) vai propor ao governador Reinaldo Azambuja a inclusão do Tucunaré, peixe amazônico e exótico, no decreto da cota zero.  A medida é discutida também em São Paulo.

Pescadores amadores participaram do 10º Torneio de Pesca Esportiva de Três Lagoas, que contou com 880 esportistas, de 12 estados, e aconteceu no último fim de semana. Segundo o presidente da APETL, Kenzo Sigaki, a pesca do tucunaré é aberta e, não havendo medidas restritivas, coloca em risco a espécie e o próprio torneio de Três Lagoas, que movimentou R$ 2 milhões na economia da cidade. Ele disse que os pescadores da região têm um pacto pela preservação do peixe, definindo a captura entre 30cm e 45cm ou 65cm para a espécie de cor azul.

O empresário paulista Nelson Nakamura, de 63 anos, pesca desde os anos de 1970 nos rios de Mato Grosso do Sul e afirma que o Estado tem perdido o público de pescadores. “Mato Grosso do Sul já perdeu 90% dos pescadores esportivos para a Argentina com a matança aberta das espécies nativas do Pantanal e resta agora o tucunaré, que é o peixe mais procurado no Rio Paraná”, disse.

A posição do pescador paulista reforça a proposta da APETL, que apresentou formalmente o pedido de uma legislação restritiva à pesca do tucunaré ao secretário em exercício da Secretaria Estadual de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar (Semagro), Ricardo Senna. O titular da pasta representou o governador no encerramento do torneio em Três Lagoas, no sábado (3/5), e adiantou que a medida é viável.

“Vamos levar ao governador essa reivindicação de ampliar o controle da pesca, incluindo uma espécie que veio para dominar o Rio Paraná e hoje proporciona a realização do maior torneio de pesca esportiva do Brasil em Três Lagoas”, disse Senna. “A cota zero é uma medida protetora, mas também visa estimular o mercado da pesca esportiva no Estado, atraindo os brasileiros que deixam meio milhão de reais por ano na Argentina para fisgar um dourado.”


 
Notícias Recentes
Lei que proíbe canudos plásticos em MS é sancionada
Aprovado projeto de lei que proíbe canudos de plástico em MS
Inverno chega dia 21 com pouca chuva e temperatura abaixo dos 5ºC graus
Semana começa com temperaturas mais baixas e previsão de chuva MS
Comércio ambulante de mudas passa a ser proibido em Mato Grosso do Sul
Peixe gigante raríssimo de mais de 200 Kg é achado em praia de SP
   
 

2006 - 2012 © - Glória News - Todos os direitos reservados.
As notícias veiculadas nos blogs, colunas e artigos são de inteira responsabilidade dos autores.
Desenvolvido por: Ribero Design - tecnologia&internet