Untitled Document
 
 
E-mail: adautodias@msn.com
 
 
 
25 de Maio de 2017 às 08h40min
Ministério da Saúde anuncia adoção de uso preventivo de pílula anti-HIV para pessoas em risco
A adoção da estratégia já vinha sendo estudada pelo Brasil por meio de dois estudos financiados pelo Ministério da Saúde
G1

O Ministério da Saúde anunciou, nesta quarta-feira (24), que adotará a profilaxia pré-exposição (PrEP) contra o HIV para grupos em risco. A estratégia envolve o uso diário do medicamento Truvada (combinação dos antirretrovirais tenofovir e emtricitabina) por pessoas que não têm o vírus. O objetivo é proteger grupos que estão mais expostos ao risco de infecção, como profissionais do sexo, casais sorodiscordantes (quando um tem o vírus e o outro não), pessoas trans e homens que fazem sexo com homens.

Segundo o ministro Ricardo Barros, a pasta já investiu U$ 1,9 milhão na compra de 2,5 milhões de comprimidos de Truvada, o que deve ser suficiente para atender à demanda durante um ano. Barros destacou que o Brasil será um dos primeiros países a adotar essa estratégia preventiva.

A distribuição do medicamento para esses grupos está prevista para começar 6 meses após a publicação do Protocolo Clínico e Diretrizes Terapêuticas, o que está previsto para ocorrer na segunda-feira (29), segundo o ministério.

Especialistas alertam que esse tipo de estratégia deve ser aliada a outras medidas preventivas. Quem optar por adotá-la, por exemplo, deve ser aconselhado a continuar usando a camisinha, a fazer testes de HIV periodicamente e a tratar outras DSTs, que costumam deixar o paciente ainda mais vulnerável à infecção por HIV.

Eficácia da estratégia
Desde 2014, a profilaxia pré-exposição é recomendada pela Organização Mundial da Saúde (OMS) para pessoas em risco considerável de se infectarem com HIV e sua eficácia foi comprovada por quatro estudos clínicos. Um deles, o estudo internacional iPrEx (Iniciativa de Profilaxia Pré-exposição), do qual o Brasil também participou, concluiu que o uso diário de antirretroviral por homens saudáveis que fazem sexo com homens conseguiu prevenir novas infecções com eficácia que variou de 43% a 92%, dependendo da adesão ao medicamento.

A adoção da estratégia já vinha sendo estudada pelo Brasil por meio de dois estudos financiados pelo Ministério da Saúde e realizados pela Faculdade de Medicina da USP e pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz).

 (Foto: Paul Sakuma/AP)


 
Notícias Recentes
Amigas de Campo Grande escaparam por pouco de van que matou 7 em atentado
Policiais tiram foto com bêbado para lembrá-lo de como chegou em casa
Novo golpe envolvendo contas do FGTS atinge usuários
Mulher é suspeita de tentar doar ilegalmente filho em maternidade de Dourados
Homem de 54 anos é flagrado com menina de 13 no carro e suspeita é de estupro
O polêmico caso do médico acusado de usar o próprio sêmen em tratamentos de fertilidade
   
 

2006 - 2012 © - Glória News - Todos os direitos reservados.
As notícias veiculadas nos blogs, colunas e artigos são de inteira responsabilidade dos autores.
Desenvolvido por: Ribero Design - tecnologia&internet