Untitled Document
 
 
E-mail: adautodias@msn.com
 
 
 
16 de Novembro de 2017 às 08h14min
Corinthians vira pela primeira vez e contraria sofrimento para ser hepta
Com a vitória, os jogadores do Corinthians serão os primeiros da história a vestir faixas de heptacampeão brasileiro.
Gazeta Press
O Corinthians passou a propagar que nada “nunca foi fácil” quando enfrentou um período de instabilidade no Campeonato Brasileiro, mas a sua sétima conquista do torneio não chegou a ser difícil. Sem ter a liderança ameaçada em nenhum momento sequer do seu irregular segundo turno, o time paulista derrotou o Fluminense por 3 a 1 na noite desta quarta-feira, em Itaquera, para assegurar o troféu.
 
O jogo decisivo até teve ares de sofrimento. O Corinthians levou um gol de cabeça do zagueiro Henrique – novamente, de escanteio, problema crônico do time dirigido por Fábio Carille – logo no princípio do primeiro tempo. Com menos de quatro minutos da etapa complementar, porém, o centroavante Jô já havia anotado duas vezes para os donos da casa, na primeira virada corintiana no campeonato. Jadson fechou o marcador.
 
Os gols deixaram Jô à frente de Henrique Dourado, do próprio Fluminense, na relação de artilheiros do Brasileiro (18 a 17) – o Corinthians jamais fez um goleador da competição. Na tabela de classificação, o inalcançável heptacampeão agora computa 71 pontos ganhos, contra 61 do Grêmio, que havia derrotado o São Paulo por 1 a 0 mais cedo, em Porto Alegre.
 
Com a vitória, os jogadores do Corinthians serão os primeiros da história a vestir faixas de heptacampeão brasileiro. Explica-se: o Santos e o Palmeiras, que se orgulham de somar oito e nove troféus nacionais, eram considerados bi e tetracampeões, respectivamente, antes da unificação de títulos promovida pela Confederação Brasileira de Futebol (CBF), no final de 2010.
 
Mas o Campeonato Brasileiro ainda não acabou. O Corinthians visitará o Flamengo no domingo, na Ilha do Governador, e receberá o seu merecido troféu em 26 de novembro, diante do Atlético-MG, em Itaquera. Já o Fluminense, com os seus 43 pontos ganhos, jogará contra a Ponte Preta, ameaçada de rebaixamento, na segunda-feira, no Maracanã.
 

 

 
O jogo – O público corintiano presente em Itaquera ainda entoava os nomes dos jogadores escalados por Fábio Carille, fato raro, quando o Fluminense teve a sua primeira chance de abrir o placar. Apenas um e outro torcedores se deram ao trabalho de brandir as mãos e braços esticados, em gesto corriqueiro para afastar o azar, quando Marcos Júnior se apresentou para a cobrança de escanteio. Henrique, no entanto, surpreendeu também o jovem goleiro Caíque, que hesitou em bola alçada na pequena área, e cabeceou para dentro.
 
“Não para de lutar!”, rebateu boa parte da torcida do Corinthians, de imediato, no final da gritaria que sucedeu o gol do Fluminense. O intuito era empurrar o líder do Campeonato Brasileiro, ainda sem ter nem sequer uma virada de placar na competição, em direção ao feito inédito justamente no dia em que tinha a possibilidade de sacramentar a conquista.
 
O Corinthians, no entanto, mostrava dificuldades para encontrar os rumos da vitória. Teimava que seriam pelo lado direito do campo, onde estava o esforçado Romero, já que quase não acionava o apagado Clayson na esquerda. Pelo meio, Rodriguinho parecia reviver as atuações sem brilho de boa parte de sua campanha no returno.
 
Foi justamente pela direita, com Romero, que o Corinthians criou a sua melhor oportunidade de empatar a partida no primeiro tempo. O paraguaio passou a bola para Fagner, que fez o cruzamento rasteiro já dentro da área. Jô se esticou para completar a jogada na segunda trave, mas não alcançou.
 

 

 

 
Ainda era pouco, contudo, para uma equipe que almejava ser campeã brasileira com três rodadas de antecedência para o final do campeonato. Fábio Carille sabia disso. No intervalo, o técnico trocou o volante Camacho pelo meia Jadson e lançou o Corinthians ao ataque. Não demorou a ser recompensado.
 
Logo no primeiro minuto, Jô mudou a direção do Corinthians ao passar a bola para Clayson na esquerda. O centroavante correu em direção ao gol para ele mesmo aproveitar o cruzamento do seu companheiro. Cabeceou no canto e igualou o marcador. “Chupa! Chupa!”, celebrou o ídolo Basílio, que comentava a partida em Itaquera para uma rádio da capital.
 
Dois minutos se passaram, e Caíque chutou a bola para a frente. Jô desviou e encontrou Clayson outra vez. Depois de o atacante chutar no travessão, o goleador do Campeonato Brasileiro demonstrou oportunismo para tirar proveito do rebote e, de cabeça, colocar a bola na rede.
 
A torcida do Corinthians já não se contentava em berrar “gol”. Alguns queriam repetir o que fizeram diante do Avaí, na rodada passada, e louvar o “campeão”. Outros, porém, pretendiam incluir um velho conhecido na festa alvinegra. “Danilo! Danilo! Danilo!”, passaram a fazer coro, pedindo a entrada do veterano, bicampeão brasileiro como corintiano.
 
Carille preferiu esperar para mexer no Corinthians novamente. Afinal, o seu time tinha a segurança dos tempos em que espantava o Brasil ao passar um turno inteiro invicto. O colega Abel Braga, ao contrário, entrou em ação. Substituiu Sornoza, Marcos Junior e Marlon Freitas por Matheus Alessandro, Peu e Pedro e viu o Fluminense ganhar posse de bola, mas não efetividade.
 
O Corinthians esteve mais próximo do gol. Aos 37 minutos, Jadson bateu colocado e acertou a trave. Aos 39, depois que Maycon ocupou a vaga de Clayson, o antes contestado armador não errou o alvo. Recebeu a bola e finalizou cruzado para acertar o canto e incendiar Itaquera. Quase literalmente.
 

 

 

 

 
Com os proibidos sinalizadores, a torcida do Corinthians iniciou uma bela festa em seu estádio. Fogos eram ouvidos do lado de fora do estádio. Basílio, o ídolo que havia gritado “chupa”, chegou a deixar a cabine de imprensa momentaneamente. “É campeão! É campeão! É campeão!”, escutava-se onde ele estava. No gramado, o consagrado Danilo enfim entrou no lugar de Jô, aos 48 minutos, para sacramentar a festa na Zona Leste como capitão.
 
FICHA TÉCNICA
CORINTHIANS 3 X 1 FLUMINENSE
 
Local: estádio de Itaquera, em São Paulo (SP)
Data: 15 de novembro de 2017, quarta-feira
Horário: 21h45 (de Brasília)
Árbitro: Bráulio da Silva Machado (SC)
Assistentes: Kléber Lucio Gil e Neuza Ines Back (ambos de SC)
Público: 45.775 pagantes
Renda: R$ 2.882.688,00
Cartões amarelos: Gabriel (Corinthians); Léo, Henrique Dourado, Reginaldo, Pedro, Henrique e Lucas (Fluminense)
Gols:
CORINTHIANS: Jô, a 1 e aos 4 minutos, e Jadson, aos 40 minutos do segundo tempo
FLUMINENSE: Henrique, a 1 minuto do primeiro tempo
 
CORINTHIANS: Caíque; Fagner, Pedro Henrique, Pablo e Guilherme Arana; Gabriel, Camacho (Jadson), Romero, Rodriguinho e Clayson (Maycon); Jô (Danilo)
Técnico: Fábio Carille
 
FLUMINENSE: Diego Cavalieri; Lucas, Nogueira, Henrique e Léo; Marlon Freitas (Pedro), Wendel, Júnior Sornoza (Matheus Alessandro) e Gustavo Scarpa; Marcos Júnior (Peu) e Henrique Dourado
Técnico: Abel Braga

 

 

 


 
Notícias Recentes
Brasil enfrentará Suíça, Costa Rica e Sérvia na Copa do Mundo 2018 veja como ficou o sorteio
Lucas Lima assina contrato com o Palmeiras por cinco anos
Corinthians vira pela primeira vez e contraria sofrimento para ser hepta
Palmeiras faz Boletim de Ocorrência após protestos ao elenco
Moisés admite Palmeiras fora da briga pelo título após nova derrota
Vasco vira dentro da Vila e deixa Santos longe do título
   
 

2006 - 2012 © - Glória News - Todos os direitos reservados.
As notícias veiculadas nos blogs, colunas e artigos são de inteira responsabilidade dos autores.
Desenvolvido por: Ribero Design - tecnologia&internet