Untitled Document
 
 
E-mail: adautodias@msn.com
 
 
 
10 de Julho de 2018 às 14h11min
Câmara realizará audiência de opositores à venda direta de etanol
Feplana e Sindaçúcar esperam que a Comissão de Minas e Energia da Câmara Federal inclua entidades defensoras ou agende nova audiência
Assessoria de Imprensa AFCP/Feplana

Nesta quarta-feira (11), semanas após a chegada do projeto do Senado para baixar o preço do etanol para o consumidor final através do fim de uma resolução da ANP que impede as usinas de venderem aos postos, haverá audiência pública para tratar do tema na Comissão de Minas e Energia da Câmara Federal. O problema é que, segundo denunciam a Federação dos Plantadores de Cana do Brasil (Feplana) e o Sindicato da Indústria do Açúcar e do Álcool (Sindaçúcar-PE), os atravessadores do etanol produzido nas usinas foram favorecidos na formação da mesa desta audiência, composta só por entidades contrárias à venda direta.

“Nem o senador Otto Alencar (PSB/BA), autor do respectivo Projeto de Decreto Legislativo (PDS 61/2018) que seguiu para a Câmara, teve o seu nome incluso como participante oficial da audiência”, diz Alexandre Andrade Lima, presidente da Feplana. A entidade representa 70 mil fornecedores de cana em 12 estados produtores. Apesar da amplitude, o órgão também não foi inserido na lista de presentes com direito a fala.

“Foram escolhidas a junção só de entidades como a União da Indústria da Cana de Açúcar e empresas Distribuidoras, todas que discordam em ceder espaço ao produtor de etanol com benefícios aos consumidores diante do processo da venda direta aos postos”, pontua Renato Cunha, presidente do Sindaçúcar-PE.

Portanto, para a Feplana e para Renato Cunha, esta audiência pública precisa garantir a pluralidade dos atores neste processo legislativo que deve refletir o debate posto na sociedade e que clama pela venda direta do etanol. Só assim se dará a real oportunidade ao produtor genuíno e principalmente para o consumidor final e não somente às distribuidoras. Do contrário, a Comissão de Minas e Energia da Câmara irá atuar para condenar o produtor a vender seu etanol a poucas distribuidoras quando existem mais de 40 mil postos revendedores de hidratado no país.

Caso esta seletividade seja mantida, o consumidor continuará pagando 13% a mais no preço do etanol só com a margem de lucro para manter a exclusividade às atravessadoras através da então resolução da ANP, sem se falar no outro custo proveniente do passeio do etanol das usinas para os pontos de distribuição e o respectivo retorno para os postos. A Feplana e Sindaçúcar esperam que a Comissão de Minas e Energia da Câmara Federal inclua entidades defensoras ou agende nova audiência.


 
Notícias Recentes
CESP firma acordo com governo do estado e R$ 560 milhões pode sair em uma semana
Câmara realizará audiência de opositores à venda direta de etanol
Brasil perdeu 6,7 milhões de linhas de celular em um ano
Concen alerta: energia continua no maior patamar de custo em julho
Jovem paraibano transforma pneus velhos em caminhas para animais
Novas centrais de comercialização da agricultura familiar são destaque no MS no Campo
   
 

2006 - 2012 © - Glória News - Todos os direitos reservados.
As notícias veiculadas nos blogs, colunas e artigos são de inteira responsabilidade dos autores.
Desenvolvido por: Ribero Design - tecnologia&internet